Imagem

juçara & Olavo Bilac

“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto…

E conversamos toda a noite, enquanto
A Via Láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Trecho do poema Ouvir Estrelas do livro Poesias  de Olavo Bilac.

juçara (Euterpe edulis)

Serrinha do Alambari – RJ

foto (c) Luciano Moreira Lima

Imagem

tucanuçu & Guimarães Rosa

"No topo da árvore, nas frutinhas, tuco, tuco… daí limpava o bico no galho. E, de olhos arregalados, o Menino, sem nem poder segurar para si o embevecido instante, só nos silêncios de um-dois-três. No ninguém falar. Até o Tio. O Tio, também, estava de fazer gosto por aquilo: limpava os óculos. O tucano parava, ouvindo outros pássaros – quem sabe, seus filhotes – da banda da mata. O grande bico para cima, desferia, por sua vez, às uma ou duas, aquele grito meio ferrugento dos tucanos:  – “Crréee!”… O Menino estando nos começos de chorar. Enquanto isso, cantavam os galos. O Menino se lembrava sem lembrança nenhuma. Molhou todas as pestanas." - Trecho do conto Os Cimos do livro Primeiras Estórias de João Guimarães Rosa. -

No topo da árvore, nas frutinhas, tuco, tuco… daí limpava o bico no galho. E, de olhos arregalados, o Menino, sem nem poder segurar para si o embevecido instante, só nos silêncios de um-dois-três. No ninguém falar. Até o Tio. O Tio, também, estava de fazer gosto por aquilo: limpava os óculos. O tucano parava, ouvindo outros pássaros – quem sabe, seus filhotes – da banda da mata. O grande bico para cima, desferia, por sua vez, às uma ou duas, aquele grito meio ferrugento dos tucanos:  – “Crréee!”… O Menino estando nos começos de chorar. Enquanto isso, cantavam os galos. O Menino se lembrava sem lembrança nenhuma. Molhou todas as pestanas.

Trecho do conto Os Cimos do livro Primeiras Estórias de João Guimarães Rosa.

tucanuçu (Ramphastos toco)

Coqueiral – MG

foto (c) Luciano Moreira Lima
Imagem

garça-azul, garça-branca-pequena & Manoel de Barros

"Não sei se passo por tantã dizendo isso. Olhando a garça-ave e a palavra garça Sofro uma espécie de encantamento poético." - Trecho do poema Garça do livro Poemas Rupestres de Manoel de Barros. -

Não sei se passo por tantã dizendo isso.
Olhando a garça-ave e a palavra garça
Sofro uma espécie de encantamento poético.

Trecho do poema Garça do livro Poemas Rupestres de Manoel de Barros.

garça-azul (Egretta caerulea)

garça-branca-pequena (Egretta thula)

Cabo Frio – RJ

foto (c) Luciano Moreira Lima
Imagem

maçarico-branco & Pablo Neruda

"ave del mar, espuma migratoria,
ala del sur, del norte, ala de ola,
racimo desplegado por el vuelo,
multiplicado corazón hambriento" - Trecho do poema Migración do livro Arte de Pájaros de Pablo Neruda. - Postagem original em: https://palavrapassarinhada.wordpress.com/2016/05/02/macarico-branco-pablo-neruda/

ave del mar, espuma migratoria,
ala del sur, del norte, ala de ola,
racimo desplegado por el vuelo,
multiplicado corazón hambriento,

Trecho do poema Migración do livro Arte de Pájaros de Pablo Neruda.

maçarico-branco (Calidris alba)

Araruama – RJ

foto (c) Luciano Moreira Lima
Imagem

catirumbava & Tom Jobim

É um resto de mato, na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Trecho da canção Águas de Março de Tom Jobim.

catirumbava (Orthogonys chloricterus)

Paraty – RJ

foto (c) Luciano Moreira Lima
Imagem

asa-branca & Raimundo Correia

Vai-se a primeira pomba despertada…
Vai-se outra mais… mais outra… enfim dezenas
De pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sanguínea e fresca a madrugada…

Trecho do poema As pombas do livro Sinfonias de Raimundo Correia.

asa-branca (Patagioenas picazuro)

Paraty – RJ

foto (c) Luciano Moreira Lima
Imagem

andorinhão-de-coleira & Carlos Drummond de Andrade

O homem vangloria-se de ter imitado o vôo das aves com uma complicação técnica que elas dispensam.

Trecho do livro O Avesso das Coisas de Carlos Drummond de Andrade.

andorinhão-de-coleira (Streptoprocne  zonaris)

Armação dos Búzios – RJ

foto (c) Luciano Moreira Lima